Tags

, , , , , , , , ,

Why Homosexuality Is Not Like Other Sins

Homossexualidade não é o único pecado mencionado em 1 Coríntios 6.9-10

“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos,
nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus”.

Não é o único pecado mencionado, mas é diferente de todo o restante, pelo menos neste momento. No momento na história, ao contrário dos outros pecados listados nesta passagem, homossexualidade é celebrada pela nossa sociedade com entusiasmo que abre caminhos, entusiasmo pioneiro. É vista como uma coisa boa, como um novo marco do progresso.

Para ser exato, as massas cada vez mais não dão a mínima a respeito do pecado em geral. Inúmeras pessoas são idólatras, sem mencionar aqueles que são sexualmente imorais, ou que cometem adultério, ou que roubam e são gananciosos e se embriagam e insultam seus vizinhos e enganam outros. Isto acontece o tempo todo. E cada um destes pecados sem arrependimento são a mesma coisa no senso do julgamento de Deus. Todos eles merecem Sua ira. E nós somos constantemente lembrados que “assim foram alguns de vocês” (1 Coríntios 6.11). Vocês na igreja.

A respeito da opinião popular

Porém, até onde eu saiba, nenhum destes pecados é aplaudido tão agressivamente por grupos inteiros de pessoas que advogam por sua normalidade. Imoralidade sexual não é mais o tipo de lança que é empurrada progressivamente. Adultério ainda é visto com olhares de desaprovação por muitos. Acusações de cobiça ou ganância ainda mancham a campanha de um político. Roubo ainda não é aceito, e não há iniciativas oficiais dizendo que está tudo bem em pegar coisas que não pertencem a você. Também não há nada na agenda a respeito de embriaguez. Muitos não se orgulham em escolher uma bebida que ultrapassa a linha da sensatez, e não há nenhuma petição para que o governo revogue as restrições de dirigir para motoristas alcoolizados. Insultar outros ainda não é visto como o melhor meio de fazer amigos e influenciar pessoas. Trapacear ou fraudar, especialmente em nível corporativo, geralmente leva alguém para a cadeia. Na verdade, a infraestrutura da economia americana depende disso, em alguma medida, do nosso desdém compartilhado por fraudes convenientes.

Talvez, exceto a fornicação, estes pecados ainda são vistos em uma luz muito negativa. Mas não a prática homossexual, não por aqueles que neste momento estão falando alto e mantendo firme suas posições. De acordo com consenso emergente, homossexualidade é diferente.

Ser contra o que

Como cristãos, nós cremos com profunda sinceridade que abraçar a prática homossexual, junto com outros pecados, mantém as pessoas fora do Reino de Deus. E se nossa sociedade a celebra, não podemos não nos importar e não dizer nada. Muita coisa está em jogo. Isso significa dizer de um jeito muito simplificado, que nós Cristãos – ou os evangélicos conservadores – são simplesmente contra a homossexualidade. Nós somos contra qualquer pecado que prende as pessoas de uma alegria eterna em Deus, e a prática homossexual obtém toda esta pressão porque, neste momento cultural, é o principal pecado aprovado recentemente em nosso contexto pelos poderes constituídos.

Vamos dizer que se uma nova agenda cultura promovesse o roubo – alguém dirá agora que é o nosso direito pegar o que quisermos de outras pessoas por qualquer meio – e Cristãos irão falar contra isso. O problema é o pecado. É contra isto que nós somos contra.

E é isso que faz a nossa voz ser tão única quando falamos nisto em um debate.

Alguns gostariam de ver toda esta questão de homossexualidade dividida em dois campos: aqueles que a celebram e aqueles que a odeiam. Ambos estes grupos existem em nossa sociedade. Há números crescentes, debaixo de grande pressão social, aqueles que aprovam e elogiam homossexualidade. Nós podemos chama-los de esquerda. E há aqueles que odeiam a homossexualidade, com a maior razão e afastados de qualquer preocupação cristã. Nós podemos chama-los de direita.

Estas maravilhosas palavras

O debate atual é inflamado por estas duplas lentes. Aqueles da esquerda tentam amontoar todos que discordam deles do lado direito. Se você não suporta, você odeia. Enquanto isso, aqueles da direita veem compromisso e covardia em qualquer um que não fique com o rosto vermelho e brigue. Se você não odeia, você suporta.

Porém verdadeiros seguidores de Cristo não adotam nenhum dos lados. Nós temos algo a dizer que nenhum outro está dizendo ou pode dizer.

Nos afastando de ambos os lados, esquerda e direita, nós não celebramos a prática homossexual, nós temos conhecimento claro da palavra de Deus relevada que isto é pecado; e nós não odiamos aqueles que abraçam a homossexualidade, nós os amamos o suficiente para não ceder às pressões sociais. Nós falamos a verdade em amor no meio desta confusão, dizendo ao mesmo tempo: “Está errado” e “Amo você”. Nós não somos a esquerda; nós dizemos, isto é errado. E nós não somos a direita; nós dizemos: você é amado. Nós falamos as boas novas com as mais doces, profundas e as mais gloriosas palavras da cruz – as mesmas palavras que Deus nos disse – “Você está errado, e você é amado.”

Deus nos diz que nós estamos errados, que o salário do pecado é a morte, que rebelião sem arrependimento significa julgamento, que nosso resgate requereu a morte do seu filho (Romanos 3:23; João 3:36; Gálatas 3:13). Deus nos diz que nós somos amados, mesmo ainda enquanto éramos pecadores, Jesus morreu por nós, enquanto nós éramos injustos. Jesus sofreu em nosso lugar, enquanto estávamos destinados à ira, Jesus nos convida para a glória (Romanos 5:8; 1 Pedro 3:18; Efésios 2:1-7).

Onde o Evangelho Brilha

Você está errado e você é amado – esta é a voz única dos Cristãos. É o que dizemos, falando de nossa própria experiência, como Tim Keller bem colocou: “nós somos muito piores do que imaginamos, e muitos mais amados do que poderíamos sonhar”.

Esta é a nossa mensagem neste debate, quando as elites nos desprezam, quando canções nos difamam, quando ninguém tem os recursos para dizer qualquer coisa além destes dois extremos, nós temos esta incomparável oportunidade de deixar o evangelho brilhar, para alcançar em graça: você está errado e você é amado. Nós temos que dizer isto.

É por isso que homossexualidade não é como outros pecados.

************************************************************

Autor: Jonathan Parnell

Fonte original: http://www.desiringgod.org/articles/why-homosexuality-is-not-like-other-sins

Traduzido por: Anderson Alcides, com autorização do autor via twitter.

Anúncios