Tags

, , , , , , , , , , , ,

A primeira foi em 2000, quando oficializaram a filiação do Ministério Verbo da Vida com o Rhema. A última foi em 2004, para a Formatura do Rhema Brasil em Campina Grande-PB e inauguração da Igreja Verbo da Vida sede local.

O pastor Hagin e Lynette estarão no Brasil em 2014, nos dias 20 e 21 de Maio em Campina Grande-PB, na Igreja Bíblica da Paz – Pr. Edson Rebustini (Rua Dona Santa Veloso, 575, Vila Guilherme). (Esta informação é somente para certificar da veracidade de sua presença no país; entretanto, rogamos que não compareçam). – Nota do A Voz no Deserto.

QUEM É KENNETH WAYNE HAGIN?

Kenneth Wayne Hagin, presidente dos Ministérios Kenneth Hagin e pastor da Igreja Bíblica Rhema, mais conhecido como Kenneth Hagin Jr.

Filho de Kenneth E. Hagin (considerado por muitos o pai do Movimento Palavra de Fé) e de Oretha Hagin, e é casado com Lynette Hagin, que é diretora do Centro de treinamento Bíblico Rhema.

Kenneth Hagin Jr. estudou na Faculdade de Teologia das Assembleias de Deus americana, no Sudoeste dos EUA, e na Universidade Oral Roberts, formando-se em Educação Religiosa. Depois de servir como pastor assistente, Kenneth Hagin Jr. viajou como evangelista para todas as partes dos Estados Unidos, bem como para outros países. Além disso, organizou o Centro de Treinamento Bíblico, que prepara homens e mulheres para o ministério. Além de suas responsabilidades administrativas e de ensino no Rhema, Kenneth Hagin Jr. é pastor principal da Igreja Bíblica Rhema, uma congregação grande e ativa no campus do Rhema. É também diretor internacional da Associação Ministerial Rhema Internacional e dirige um programa semanal de rádio, chamado A Igreja Radiofônica Rhema, o qual é ouvido em estações de todas as partes dos Estados Unidos.

Quando Kenneth E. Hagin morreu, em 19 de setembro de 2003, os Ministérios Kenneth Hagin foram assumidos por Kenneth Hagin Jr. e sua mulher Lynette Hagin. Seus livros no Brasil foram publicados pela Graça Editorial.

VEJA ALGUNS DOS SEUS ENSINOS, – QUE DEVEM SER REFUTADOS, POIS SÃO HERESIAS.

“Jesus se tornou como nós éramos: separado de Deus. Porque provou a morte espiritual por todos os homens. Seu espírito, seu homem interior, foi para o inferno em nosso lugar… A morte física não removeria os nossos pecados. Provou a morte por todo homem — a morte espiritual” (O Nome de Jesus, p.25).

“Jesus é a primeira pessoa que já nasceu de novo. Por que o seu espírito precisava nascer de novo? Porque ficou alienado de Deus. Lembra-se como ele exclamou na cruz: ‘Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?’” (O Nome de Jesus, p.25)

“O pecado separa de Deus. A morte espiritual significa a separação de Deus. No momento em que Adão pecou, ficou separado de Deus… A morte espiritual significa mais do que a separação de Deus. A morte espiritual significa ter a natureza de Satanás” (O Nome de Jesus, p.26).

“Lá embaixo na masmorra do sofrimento — lá nos fundos do próprio inferno — Jesus satisfez as reivindicações da Justiça para todos nós, individualmente, porque ele morreu como nosso substituto” (O Nome de Jesus, p.28)

“Quando a pessoa nasce de novo, toma sobre si a natureza de Deus — que é vida e paz. A natureza do diabo é ódio e mentiras… Jesus provou a morte — a morte espiritual — por todos os homens… Jesus se fez pecado. Seu espírito foi separado de Deus, e ele desceu para o inferno em nosso lugar” (O Nome de Jesus, p.27)

“Acrescentamos algo que Jesus não disse. Adicionamos outra coisa: ‘Deus fará, se fora a sua vontade — mas pode não ser a sua vontade’, temos dito. Não se acha este tipo de conversa no Novo Testamento” (O Nome de Jesus, p.13)

Veja o que ele diz sobre oração: “Não orei uma só oração em 45 anos sem obter uma resposta. Sempre recebi uma resposta — e a resposta foi sempre “sim”. Algumas pessoas dizem: Deus sempre responde às orações. Às vezes diz: ‘Sim’, e às vezes diz: ‘Não’. Nunca li isto na Bíblia. Trata-se apenas de raciocínio humano” (O Nome de Jesus, p.14).

“Se a nossa mente pudesse compreender o fato de que Satanás está paralisado, despojado da sua armadura pelo Senhor Jesus, e que a doença e a enfermidade são servas deste Homem; que, ao som da Sua voz, elas devem ir embora, seria fácil viver neste Âmbito da Ressurreição” (O Nome de Jesus, p.47).

“Na realidade, eis o que é a vida eterna: Deus comunicando toda a sua natureza, substância e ser aos nossos espíritos… Louvado seja Deus! Tenho a vida e a natureza de Deus. Tenho dez vezes mais sabedoria e entendimento do que o restante da classe” (Zoe: A Própria Vida de Deus. pp.10,29).

“Deus nos fez tão semelhantes a si mesmo quanto lhe foi possível. Fez-nos para pertencer à sua própria categoria… O Senhor fez o homem como o seu substituto aqui na terra. Ele constituiu-o como rei para governar tudo o que tinha vida. Vivia em termos de igualdade como Criador” (Zoe: A Própria Vida de Deus, pp.50,51).

“O Senhor é um Deus de fé. Tudo o que tinha a fazer, fê-lo pela Sua Palavra” (Zoe: A Própria Vida de Deus, p 51)

“Esta vida eterna que Ele veio nos dar é a natureza de Deus” (Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 9).

“Na realidade, eis o que é a vida eterna: Deus comunicando toda a sua natureza, substância e ser aos nossos espíritos” (Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 10)

“Já sabemos, portanto, que o homem é espírito. Sendo espírito, encontra-se na mesma categoria de Deus, porque Deus é espírito” ( Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 15).

“Louvado seja Deus! Isto me foi concedido, porque tenho a vida e a natureza de Deus (Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 29)

“O Senhor fez o homem como o Seu substituto aqui na terra… O homem era Senhor… Vivia em termos de igualdade com o Criador” (Zoe: A Própria Vida de Deus, pp. 50, 51).

“Muitos membros do Evangelho Pleno não sabem, por exemplo, que o novo nascimento é a real participação na natureza divina. Não sabem ainda que são filhos e filhas de Deus tanto quanto o próprio Jesus” (p. 55).

“Jesus foi primeiramente divino e depois humano. E, na carne, Ele foi um ser divinohumano. Quanto a mim, fui primeiramente humano como você, mas eu nasci de Deus. E, desta maneira, tornei-me num ser humano-divino!” (Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 55).

“Eis quem somos: somos Cristo! “(Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 57).

“Se bem atentarmos, verificaremos que Adão era o deus deste mundo” (Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 64).

“Se eu permanecer em Deus e junto dEle, meus direitos estarão plenamente assegurados. Ninguém poderá oferecer-me nada melhor. Nem o próprio Senhor Jesus tem uma posição melhor diante de Deus do que você e eu temos” (Zoe: A Própria Vida de Deus, p. 79).

“Seu espírito, Seu homem interior, foi para o inferno em nosso lugar… A morte física não removeria os nossos pecados. Provou a morte por todo homem — a morte espiritual… A morte espiritual significa mais do que a separação de Deus. A morte espiritual significa ter a natureza de Satanás… Jesus Se fez pecado. Seu espírito foi separado de Deus, e Ele desceu para o inferno em nosso lugar… Lá embaixo na masmorra do sofrimento — lá nos fundos do próprio inferno Jesus satisfez as reivindicações da Justiça para todos nós… Deus no céu disse: “É suficiente”. Depois, O ressuscitou. Trouxe Seu espírito e alma para cima, tirando-os do inferno.”

“Quando Jesus foi gerado? A maioria das pessoas pensam que Ele foi gerado quando entrou no mundo como o Menino de Belém. Não! Oh, não! Gerado significa nascido. O Filho de Deus não nasceu quando tomou sobre Si a carne humana… Não nasceu quando veio para o mundo; sempre existiu com o Pai (…) Quando foi, então, que Jesus foi gerado? Quando Ele foi ressuscitado! Naquela manhã da Ressurreição.” (O Nome de Jesus, pp. 25-28)

“Deus quer que seus filhos usem a melhor roupa. Ele quer que eles dirijam os melhores carros e quer que eles tenham o melhor de tudo… simplesmente exija o que você precisa” (New Thresholds of Faith, 1985, p. 55).

“Muitos crentes confundem humildade com pobreza. Um pregador certa vez me disse que fulano possuía humildade, porque andava num carro muito velho. Repliquei: “Isso não é ser humilde — isto é ser ignorante”. A idéia que o pregador tinha de humildade era a de dirigir um carro velho. Um outro observou: “Sabe, Jesus e os discípulos nunca andaram num Cadillac”. Não havia Cadillac naquela época. Mas Jesus andou num jumento. Era o “Cadillac” da época — o melhor meio de transporte existente.” (A Autoridade do Crente, p. 48).

“Você é tanto uma encarnação de Deus quanto Jesus Cristo o foi. Cada homem que nasceu de Deus é uma encarnação e o cristianismo é um milagre. O crente é uma encarnação tanto quanto o foi Jesus de Nazaré” (Word of Faith, dezembro, 1980, p. 14).

“Fisicamente, nascemos de pais humanos e participamos da sua natureza. Espiritualmente, nascemos de Deus e participamos da Sua natureza” (Como Ser Dirigido Pelo Espírito de Deus, p. 96).

“Em 1952, o Senhor Jesus Cristo me apareceu numa visão e falou comigo por mais ou menos uma hora e meia sobre o diabo, demônios e possessão demoníaca. No final daquela visão, um espírito maligno que parecia um macaquinho ou um duende correu entre mim e Jesus, espalhando alguma coisa parecida com fumaça ou nuvem escura. Então este demônio começou a pular, gritando com uma voz estridente: “Iaqueti-iac, iaqueti-iac, iaqueti-iac”. Eu não podia ver Jesus, nem entender o que Ele dizia. (Durante todo o tempo dessa experiência, Jesus estava me ensinando alguma coisa. E, se prestar atenção, você encontrará resposta aqui para muitas coisas que o têm perturbado). Não podia compreender por que Jesus permitia ao demônio fazer tanta algazarra. Fiquei imaginando a razão por que Jesus não repreendeu o demônio para que eu pudesse ouvir o que Ele falava. Esperei algum tempo, mas Jesus não tomou nenhuma iniciativa com relação ao demônio; Jesus ainda estava falando mas eu não podia entender uma palavra sequer do que dizia e eu precisava ouvir, porque Ele dava instruções referentes ao diabo, demônios e como exercer autoridade. Pensei comigo mesmo: “Será que o Senhor não sabe que não estou ouvindo o que Ele quer que eu ouça? Preciso ouvir isto. Estou perdendo!” Quase entrei em pânico. Fiquei tão desesperado que gritei: “No nome de Jesus, espírito tolo, te ordeno que pares!” No mesmo instante que disse isso, o demoniozinho caiu no chão como um saco de feijão e a nuvem negra desapareceu. O demônio ficou ali no chão tremendo, choramingando e gemendo como um cachorrinho acossado. Nem olhava para mim. “Não somente cales a boca, mas sai daqui em nome de Jesus!” ordenei. Ele foi embora correndo. O Senhor sabia exatamente o que se passava em minha mente. Eu estava pensando: Por que Ele não fez nada? Por que permitiu isso? Jesus me olhou e disse: “Se você não tivesse tomado uma atitude a respeito, eu não poderia fazê-lo”. Ao ouvir isso tomei um verdadeiro choque — fiquei pasmo. Respondi: “Senhor, acho que não O ouvi direito! O que o Senhor disse é que não o faria, não foi? “Ele respondeu: “Não, se você não tivesse tomado nenhuma atitude, eu também não poderia fazê-lo”. Repeti tudo por quatro vezes. Ele era enfático ao dizer: “Não, não disse que não faria, disse que não poderia fazêlo. (A Autoridade do Crente, pp. 37, 38). “Ouço as pessoas, Deus abençoe o coração delas, que falam a respeito de estar no vale, e depois, de estar na montanha, para não voltarem ao vale. Eu nunca fui para o vale. Faz 45 anos que sou salvo, e nunca fui para o ligar algum senão para o cume das montanhas…Oh sim, tem havido provas e provações, mas eu fiquei no cume da montanha, gritando a vitória o tempo todo – vivendo acima dos problemas! (Como Ser Dirigido Pelo Espírito de Deus, pp. 73, 74)

MEUS COMENTÁRIOS

Infelizmente este Evangelho pregado por Kenneth Hagin e seus discípulos não são as boas novas que oferece o perdão dos pecados, a paz em Deus por meio de Cristo Jesus e a vida eterna com um presente de Deus.

Eles estão anunciando a solução dos nossos problemas e viver com saúde e prosperidade. Essa mudança da pregação da esperança cristã, passando do porvir para o aqui e agora tem consequência tão grande que eu sei que muitas críticas virão pelos defensores deste falso evangelho.

É claro que ele atrai muita gente, sua atração não é pela prosperidade do povo brasileiro, mas pela ausência da prosperidade em nosso país. Sei que esta mensagem é de muito poder e esperança que não esta limitada a nenhum continente ou denominação. Ela tem resposta para algumas das esperanças mais profundas que as pessoas tem na vida, ou seja, o desejo de ter saúde e prosperidade financeira, eu sei que para muitos as boas coisas da vida não devem ser evitadas, mas buscadas e aproveitadas, não importa os meios.

Também sei que não vai passar tão cedo esta onda, vai se expandir por algum tempo e a ser ouvido e atacado por muitos, pois diz aquilo que as pessoas querem escutar, crescem porque satisfazem alguma necessidade do coração humano. Este evangelho promete muitas coisas e exige tão pouco em troca, exceto, talvez, que o fiel seja mais generoso na hora de abrir sua carteira ou fazer seu depósito. Com esse tipo de mensagem fica fácil fazer a Igreja crescer em pouco tempo. Com um sistema de saúde precário que não virá ao ouvir promessas de cura? Veja Jó 2:4.

Ainda quem não virá para a Igreja ao ouvir a mensagem: “Deixe de ser empregado para ser patrão?” Quem não quer ouvir uma mensagem de prosperidade financeira? Quando muitos não tem direção das suas vidas quem não gostaria de ouvir: “Você tem a autoridade de Deus”. Resta saber por quanto tempo essas pessoas permanecerão fiéis a tal mensagem.

Paulo disse: “… pregamos a Cristo crucificado” (1 Co 1.23; 2.2). Esta era a primeira verdade do cristianismo e tinha de ser estabelecida antes que fosse ensinada qualquer outra doutrina ou insinuado algum outro estilo de vida. A exemplo dos Coríntios de tanto tempo atrás, o evangelho da prosperidade fala da cruz somente em termos dos benefícios que dela podemos ter, nunca das exigências que ela nos faz.

Pressupõe-se que Jesus foi para a cruz a fim de que a pessoa que crê não precisasse ir para lá e que o fiel pode colher a glória sem participar da vergonha. Esta é a essência da teologia da glória. É a teologia de outro evangelho. Com respeito a esta vida, a Bíblia tem pouco a oferecer em termos de promessas de melhorias. Ela não promete que pelo fato de uma pessoa ter se arrependido de seus pecados e crido em Cristo, o salário dela irá aumentar ou sua saúde melhorar. Pelo contrário, a palavra do Senhor nas Escrituras, diante da doença, frequentemente é essa: “a minha graça te basta” (2 Co 12.9). Cristo nunca foi visto enriquecendo qualquer de seus seguidores. Em vez disso, o único conselho de economia que a Bíblia oferece é no sentido de que lancemos sobre ele nossa ansiedade, pois ele tem cuidado de nós (1 Pe 5.7). Melhorias na saúde ou no padrão de vida podem ocorrer na vida do cristão, mas caso ocorram, elas se devem ao abandono de velhos hábitos e à adoção de outros.

Com toda certeza muitos lideres estarão presentes nestes eventos, tanto em São Paulo como em Campina Grande, muitos serão influenciados negativamente por este falso evangelho, não adiante dizer que Kenneth Hagin se arrependeu antes de morrer, a maior prova do arrependimento de suas heresias vou ver quando retirarem de circulação todos estes livros heréticos que menciono aqui e outros que não foram mencionados. Quando publicarem um livro onde ele nega todas estas heresias.

***

 Joaquim de Andrade é Professor, Jornalista, Pastor, Escritor e Pesquisador de Religiões, Seitas e Heresias por mais de vinte e oito anos. Púlpito Cristão.

Anúncios