Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Como disse John Piper certa vez: “uma das maiores utilidades do twitter e do Facebook será provar no último dia que a falta de oração não era por falta de tempo”. O que é absolutamente irônico é que li essa frase no Facebook. E sou obrigado a concordar com Piper, simplesmente porque ele tem razão. Mas concordar com isso e compartilhar essa frase no Facebook… é a contradição das contradições! A verdade é que, se acredito nessa afirmação, não adianta compartilhar a fotinha.

Não estou dizendo que a internet é má, que o diabo habita nas redes sociais. Absolutamente. A tecnologia pode proporcionar coisas boas. Agora mesmo estou fazendo uso dela; da internet, das redes sociais.
Mas sem dúvida, muitos males também geram para o Corpo de Cristo.

Uma das coisas é a sensação de que conhecemos o outro que está a milhares de quilômetros, que nunca vimos pessoalmente, nunca tomamos um cafézinho em meio a um bate-papo, como se conhecessemos por exemplo nossos pais. A “intimidade” da amizade, da proximidade. Não quero dizer que não seja possível fazer amizades pelas redes. Tenho amigos que nunca os vi pessoalmente, os estimo, mas tenho a sensação de que falta algo. Falta calor humano. Humanos precisam de calor. Precisam de contato.

A sociedade perdeu isto, infelizmente. Vi uma foto recentemente que me deixou reflexivo. Uma família conversando sobre o que iriam jantar e a conversa se passava da seguinte forma: O pai na sala, a filha no quarto, a mãe na varanda, o filho em seu quarto também. E todos conversavam pelo mensageiro instântaneo. A internet aproxima e ao mesmo tempo afasta. Que paradoxo.

Quero me dedicar mais a uma vida mais intensa. Mais viva. Mais dolorosa, mais prazerosa, com mais lutas e com mais vitórias. Quero me dedicar à minha alma. Quero me dedicar à minha família. Quero me dedicar ao ministério que o Senhor delegou à mim. Quero servir aos meus irmãos, chorar com eles, rir com eles.

Analisemos friamente e sem olhar apaixonado: o Facebook é o universo da irrelevância. Se você peneirar ali o que realmente tem utilidade verá que se resume talvez a 1% do que entra na sua tela. O twitter, com seus 140 caracteres, já é, por sua vez, o universo da superficialidade.

É por tudo isso e outros fatores pessoais que decidi me retirar, pelo menos por um longo e indefinido período sabático, das redes sociais.

No começo pensei que seria edificante, mas não. Fazendo uma análise, percebi que mais me afastou de Deus do que me edificou.

Espero ter contribuido de alguma forma na vida das pessoas da minha rede e espero contribuir.

No dia 12/04/2013, minha conta do Facebook será desativada. Todavia não deixarei de entrar em contato com amigos, portanto, peço por favor que deixe seu endereço de email aqui nos comentários para que eu possa adicionar à minha agenda.

Continuarei escrevendo aqui no Blog A Voz no Deserto, aqueles que acompanham poderão acessar pelo link https://avoznodeserto.wordpress.com.

Graça e Paz,
Anderson Alcides.

Anúncios