Tags

, , , , , , , , , , , , , , , ,

Ontem em casa, estávamos conversando sobre as responsabilidades do homem e da mulher em um lar, seus papéis dados por Deus, e como a Igreja tem se omitido muitas vezes em transmitir ensinos sadios e preparar os jovens para vida. Como rapazes precisam aprender a serem homens e moças a serem mulheres. A crescerem. O conceito deturpado e desvirtuado dos papéis do homem e da mulher na família adentrou às portas da Igreja, e, por falta de ensino muitas famílias sofrem. Soma-se a isto também o conceito recente do que é “ser” ou “ter” um chamado de Deus. Parece que somente tem chamado aquele ou aquela que tem um ativismo na em sua igreja local ou que faz algo diretamente ligado às obras no ambiente eclesiástico. Curiosamente enquanto comentávamos sobre este assunto, logo vimos no facebook o artigo abaixo do Ministério Desiring God do Pastor John Piper.

Espero que este artigo possa ministrar à você querida irmã, seja mãe ou ainda jovem pensando em se casar. Veja que, antes de você ter algo para fazer em sua igreja local, ser um profissional, o chamado principal que Deus te deu – e é um chamado lindo – é ser mãe.

Também dirijo-me aos rapazes, solteiros e já casados. No final do texto, a autora não está tirando a responsabilidade do sacerdote do lar orientar seus filhos. O texto é voltado para as mulheres, mas isto não isenta os homens. Nosso papel, homens, é sermos maridos e pais.

Antes de sermos, pastores, líderes, profissionais, somos maridos, pais, esposas e mães. Este é o principal chamado na vida do cristão dado pelo Altíssimo.

Aproveite o texto. Que Deus te abençoe.

Anderson Alcides.

O maravilhoso chamado de ser “Mãe”

Por Trillia Newbell

Tradução: Anderson Alcides

Em outra manhã eu acordei enquanto meus filhos ainda estavam dormindo e comecei  orar.. Eu comecei a pensar sobre a minha identidade. O que eu sou? Quem sou eu? Enquanto eu estava envolvida em meu tempo de oração comecei a regozijar-me com o pensamento de que eu sou uma mãe. É parte de quem eu sou. Para os meus filhos é o meu nome: mamãe.

A mãe moderna nem sempre gosta de ser identificada como uma mãe. Nós somos “liberadas”. Temos nomes e identidades de significado muito maior. Até mesmo a mãe cristã prefere manter sua identidade mãe em cheque. “Eu sou uma cristã em primeiro lugar”, poderíamos dizer. Isso é tão verdadeiro e tão bom. Somos em primeiro lugar, identificados como unidos a Cristo. Ele nos redimiu e, portanto, nossas identidades são envoltos em Sua justiça. Mas isso não significa que temos que negar a importância de ser mãe uma vez que abraçamos quem nós somos em Jesus.

Talvez o que precisamos não deixar o nosso título mamãe, prefiro ver o verdadeiro significado. Um grande exemplo pode ser encontrado no relato bíblico de Timóteo. Timóteo era filho de uma mulher judia que também era um crente, Eunice, e um pai grego (Atos 16:1, 2). Embora não parece saber muito sobre seu pai, nós temos algumas informações cruciais sobre sua mãe.

Timóteo era um jovem pastor e filho de Paulo na fé (1 Timóteo 1:2). Paulo amava a Timóteo por sua fidelidade aos textos sagrados e sua amizade (2 Timóteo 3:15, 10-11). Quando todos tinham abandonado Paulo durante sua prisão em Roma, Timóteo permaneceu fiel a Paulo através de orações e lágrimas (2 Timóteo 1:3-5). Paulo grandemente o mais afetado pelo ministério e o amor de seu aprendiz. Os atributos de Paulo, a fé e caráter a sua mãe e avó, testemunhas fiéis.

Paulo faz referências ao legado dessas mulheres em dois lugares. Primeiro vamos ver quando ele está agradecendo a Deus por Timóteo e sua fé. Ele lembra que a sua fé sincera habitou primeiro em sua avó Lóide e então em sua mãe Eunice e diz: “Agora, eu tenho certeza, habita em vós, bem como,” (2 Timóteo 1:5). Mais tarde, Paulo encoraja Timóteo a ficar forte na Palavra, não sendo enganado, e sob a perseguição que certamente vem daqueles que seguem a Cristo (2 Timóteo 3:12-14). E mais uma vez ele lembra que ele aprendeu e acreditava firmemente cria na Palavra desde a juventude, “desde a infância” (2 Timóteo 3:15).

Mães, isso é muito significativo. Eunice e Lóide investiram em Timóteo para ensiná-lo a respeito de Deus. O evangelho foi passado para Timóteo e de Timóteo para outras gerações. E ainda mais importante, Timóteo agora desfruta dos benefícios de estar com Cristo, para sempre.

Deus nos chamou, mães, para treinar os nossos filhos no caminho em que devem andar (Provérbios 22:6). Realmente não poderia haver um chamado mais importante do que transmitir o legado da nossa fé. A Grande Comissão se aplica a nós, em nossas casas, com nossos filhos. Nossa identidade em Cristo é transmitir para dentro da vida dos nossos filhos. Nós não precisamos deixar este título dado por Deus de “mãe”. Somos chamados a maximizar o que isso significa para a glória de Cristo. Podemos abraçar o nosso papel sem murmuração e com a plena certeza da bondade soberana de Deus. Deus promete que, como nós brilhamos neste mundo (e isso inclui nossos filhos), vamos saber que o nosso trabalho não foi em vão (Filipenses 2:12-16).

Nós podemos nunca saber o significado do título mãe, deste lado do céu, mas nós conhecemos Lóides e Eunices e sabemos que gerações de pessoas foram salvas, como resultado de sua fidelidade para ensinar.

Via: Desiring God

Autor: Trillia Newbell

Tradução: Anderson Alcides

Anúncios