Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Josh Cousineau é pastor da Igreja Redemption Hill, em Auburn, Maine. Ele é  membro fundador do Gospel Alliance New England. Josh casou com sua namorada de colégio Anna, com quem têm quatro filhos. Ele escreve para o blog joshcousineau.com.

Eu me lembro de estar sentado no auditório da Conferência Nacional do ministério The Gospel Coalition de 2009, em Chicago. Uma plenária tinha acabado; nos foram mostradas as glórias de Jesus e como Ele é a única esperança e fundamento para o nosso ministério. Meu coração estava completo, e eu estava feliz porque Deus havia me chamado para ministrar a estudantes. Os dois rapazes que vieram comigo para a conferência estavam “digerindo” o conteúdo, enquanto consideravam como aplicá-lo não apenas em nossas próprias vidas, mas também na vida dos jovens que servimos na igreja.

No meio da nossa conversa, um outro pastor de jovens se aproximou de nós e entrou na conversa. Eu não sei quem ele era ou de onde era. Tudo o que sei é que suas declarações me pegaram totalmente desprevenido. “Este material é muito bom”, disse ele com naturalidade, “apesar de não ser muito aplicável para o ministério de jovens. Ainda bem que não temos que nos preocupar em usar tudo isso com os jovens”. Eu acho que nem cheguei a responder.

Muitos de vocês concordariam comigo sobre o absurdo de seu comentário. No entanto, infelizmente, é assim que milhares de ministérios de jovens em todo o mundo funcionam. Jesus é bom e suficiente para as grandes igrejas, mas Jesus não é um “assunto” que irá manter os jovens engajados. Jesus é bom para minhas devoções diárias, mas os jovens precisam de algo a mais para captar a sua atenção. Jesus é ótimo para aqueles que querem ir mais a fundo, mas precisamos começar com algo a mais para tê-los na igreja nos dias de culto.

Em mais de 11 anos trabalhando com jovens de diversas idades, e que estudam em áreas diferentes, eu descobri que a verdade é exatamente o oposto. Ministérios que focam qualquer coisa a não ser Jesus podem preencher os bancos da igreja, mas não prepararam os jovens para viver no mundo real. Aquele rapaz na Conferência, junto com inúmeros outros jovens ministros, falhou em construir seu ministério em Jesus Cristo.

Comprou a Mentira

Os jovens têm muitas necessidades diferentes hoje: aceitação, integração, disciplina, trabalho e assim por diante. Mas em todas as culturas de todas as gerações, todos os jovens precisam de um verdadeiro Salvador. Os que relutantemente frequentam a cada semana a igreja com seus pais têm uma necessidade primordial em suas vidas. Eles precisam ver que Jesus é o único fundamento em que se pode construir suas esperanças, alegrias e segurança. Qualquer outra coisa irá deixá-los vazios, precisando de algo mais para preenchê-los.

Nós temos comprado a mentira de que se pudermos simplesmente fazer os jovens chegarem à igreja, entretê-los e mantê-los felizes, vamos, de alguma forma, fazê-los discípulos em nossa igreja. Assim, a cada dois anos no máximo, buscaremos novos estilos, sistemas e métodos para a juventude. Em uma cultura de rápidas mudanças, buscaremos jogos avançados, atividades, passeios, viagens de missões e fins de semana longe para mantê-los felizes.

Contudo, renovar o ministério de jovens para torná-lo mais atraente não vai resolver o problema de como alcançá-los e mantê-los firmes na fé. Não, o foco precisa mudar. Em Isaías 28, o profeta utiliza a imagem de Cristo como a pedra angular, sobre a qual a vida deve ser construída. Esta imagem é usada novamente em 1Pedro, e Jesus mesmo nos mostra que Isaías estava falando sobre Ele (Marcos 12:10). Tragicamente, Israel colocou sua esperança em outra coisa, um tratado com o Egito (Is 28:15).

Da mesma forma, muitos líderes de jovens têm alicerçado sua esperança em algo diferente de Jesus. Temos construído nossa fundação em bases que não são a única pedra angular, a única que pode realmente se manter firme nas ondas da vida, em que você e seus jovens irão passar. Jovens de 2013 precisam da mesma base que os dos anos 50, e até mesmo aqueles que viveram nos dias de Isaías. É o que Adão e Eva precisavam lembrar no jardim, durante a tentação. Apenas Deus cumpre suas promessas.

Muitos de nós fazemos um acordo popular com o Egito: o Egito do entretenimento, da sabedoria, da programação e diversão. Mas os nossos jovens precisam de algo mais útil e bíblico. Algo que irá fazê-los suportar o divórcio de seus pais, bullying, pressão para desistir do que Deus tem preservado para o casamento, guerras e inúmeras outras coisas. Uma vida construída apenas na diversão perde seu brilho quando a vida real os atinge. E acreditem em mim, a vida real está batendo ainda mais cedo para muitos jovens nos dias de hoje.

Nosso chamado

Ame os jovens o suficiente para conquistá-los com a verdade fundamental de Jesus, Seu amor, Seu perdão para seus erros, a Sua aceitação amorosa e, acima de tudo, o Seu sacrifício, o que tornou possível estarmos bem com Deus Pai. Muitos pastores têm observado: “se o líder fizer uso de qualquer artifício para atrair os jovens, como festas e diversão, será para isso que eles serão atraídos”. Eu quero jovens que sejam conquistados para Jesus e não para piadas e jogos. Devo confiar no Espírito Santo e não nos meus “incríveis” programas.

Somos chamados para construir nossas vidas sobre o firme alicerce de Cristo, o escolhido, a preciosa pedra angular,  e não seremos envergonhados (1Pedro 2:4-7). Eu não sei quanto a você, mas tenho visto a fidelidade de Deus na minha vida. Sempre haverá um outro método de como proceder no ministério de jovens, ou a melhor maneira de alcançá-los. Vamos conhecer a Deus em sua palavra e construir os nossos ministérios em Jesus e Jesus somente. Ele é o único firme fundamento do qual seus jovens precisam.

Fonte: The Gospel Coalition

Tradução: Débora Pimpim

Via: Blog Fiel

Anúncios