Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Nos três últimos posts, eu argumentei que para a maioria, se você não for o pastor você não pode mudar nada fundamental sobre sua igreja. E eu examinei as exceções a esta regra e falei do que você pode fazer para mudar sua igreja.

Neste último post quero refletir sobre como viver com aquilo que você não consegue mudar em sua igreja.

Vivendo com o que você não consegue mudar

Obviamente, você não deve viver com heresias ou erros doutrinários importantes. Então se sua igreja começar a se desviar seriamente dos trilhos teológicos, trabalhe para trazê-la de volta ao curso. E se ela deixa o caminho por completo, sem chance real de reforma adiante, você realmente não tem escolha senão deixá-la.

Mas vamos dizer que você está em uma igreja que é basicamente sã doutrinariamente, mas que possui uma hoste de pequenos, porém sérios, problemas. E não parece que estes problemas irão embora tão cedo.

Basicamente, você tem duas opções: sair pacificamente, ou permanecer alegremente.

Sair Pacificamente…

A decisão de sair ou não dependerá em parte se há outra igreja significativamente mais saudável na proximidade. Isto não é tudo, mas uma parte necessária.

Se vice decidir sair, preserve a unidade em sua saída. Fale caridosamente e sem muitos detalhes sobre as razões de sua saída. Fale tão bem quanto possível sobre sua atual igreja e seus líderes. Trabalhe antecipando seu movimento para minimizar qualquer dano relacional ou tensão ministerial que sua partida possa causar. E ore por seu coração, por seus líderes, e por toda a igreja. Não deixe que a amargura lhe acompanhe até a porta, ou que ela seja o presente de despedida que você deixa para trás.

Mas a decisão de sair também depende de com o que você decide que pode e não pode conviver. Pense cuidadosamente sobre prioridades teológicas — quais doutrinas são mais centrais, importantes, e praticamente significantes que outras. Pense cuidadosamente sobre questões de preferência versus princípio bíblico, estilo versus substância. Busque aconselhamento. Determine em oração onde está seu limite. E se o limite for claramente ultrapassado, saia pacificamente.

…ou Permaneça Alegremente

Mas se você decidir ficar, seja porque você livremente decidiu que você pode viver com o que você não consegue mudar, ou porque não há outro lugar para ir, permaneça alegremente.

Aqui há algumas maneiras de fazer isso:

1. Seja Leal ao Seu Pastor

Primeiramente, seja leal ao seu pastor. Seja um membro fiel, submisso, humilde e apoiador. Expulse o pensamento de que sua lealdade e submissão dependem de seu pastor concordar com você em cada ponto doutrinário ou prático. Não deixe que suas discordâncias teológicas ou práticas transformem-se em justificações para desobedecer aos mandamentos bíblicos de submeter-se a seus anciãos e estimá-los no Senhor (Hebreus 13:17; 1 Tessalonicenses 5:12-13).

Em outras palavras, seja um verdadeiro amigo de seu pastor. Carregue seus fardos. Ore por ele. Seja por ele. Silencie as fofocas e reclamações dos outros sobre ele com sua própria apreciação alegre dele. E deixe que ele saiba pessoalmente que você o ama e o apoia.

2. Declare o Que Há de Bom na Igreja, Especialmente na Pregação

Segundo, declare tudo o que você puder sobre o ministério de sua igreja, especialmente na pregação de seu pastor. Por “declarar” quero dizer dar encorajamentos verbais específicos, tanto a seu pastor quanto a outros membros.

Quando você foi particularmente encorajado pela exposição que seu pastor fez das Escrituras em um sermão, conte para ele, e diga o porquê. Mostre a ele que seu ministério está cultivando frutos na sua vida. Isso será bom para sua alma e para a dele.

3. Não Provoque Descontentamento Entre Membros

Terceiro, não provoque descontentamento entre membros. Se você desenvolveu convicções que vão além das de seu pastor — por exemplo, sobre a soteriologia reformada ou pregação expositiva — seja muito cauteloso e cuidadoso sobre como você fala para os seus comembros sobre elas. A última coisa que você quer é plantar sementes de descontentamento ou começar convocar pessoas em torno de suas ideias e contra o seu pastor.

4. Seja Atrativamente Piedoso

Quarto, seja atrativamente piedoso. Embriague-se das Escrituras e da oração. Faça da obediência a Jesus sua principal ambição. Seja uma fonte de saúde bíblica e vida bíblica que transborda para outros.

5. Vista-se de Amor

Finalmente, sobre todos estes, vista-se de amor. Seja paciente com seus irmãos. Discipline-se a não reclamar e criticar. Domine não apenas sua língua, mas seu espírito. Tenha alegria tal nas boas coisas que Deus está fazendo em sua igreja que sobre pouco espaço para depressão descontente.

Em outras palavras, ame a sua igreja porque Cristo ama a igreja e deu a si mesmo por ela (Efésios 5:25). Ame a sua igreja não porque eles sejam amáveis, mas porque eles são amados (Deuteronômio 7:7-8). E se Deus pode amar a sua igreja apesar de tudo o que pode haver de errado com eles, você também pode.

****************

Por Bobby Jamieson. Copyright © 2012 9Marks.

Website: 9marks.org.

Original: How to Live with What You Can’t Change (Part 4 of 4)

Tradução: voltemosaoevangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Anúncios