Tags

, , , , , , , ,

Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre. Este pão é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.” Então os judeus começaram a discutir exaltadamente entre si: “Como pode este homem nos oferecer a sua carne para comermos?”

Jesus lhes disse: “Eu lhes digo a verdade: Se vocês não comerem a carne do Filho do homem e não beberem o seu sangue, não terão vida em si mesmos. Todo o que come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Todo o que come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.

Da mesma forma como o Pai que vive me enviou e eu vivo por causa do Pai, assim aquele que se alimenta de mim viverá por minha causa.
Este é o pão que desceu do céu. Os antepassados de vocês comeram o maná e morreram, mas aquele que se alimenta deste pão viverá para sempre”.

Ele disse isso quando ensinava na sinagoga de Cafarnaum.

Ao ouvirem isso, muitos dos seus discípulos disseram: “Dura é essa palavra. Quem consegue ouvi-la?”

Sabendo em seu íntimo que os seus discípulos estavam se queixando do que ouviram, Jesus lhes disse: “Isso os escandaliza?”

Que acontecerá se vocês virem o Filho do homem subir para onde estava antes!

O Espírito dá vida; a carne não produz nada que se aproveite. As palavras que eu lhes disse são espírito e vida.

Contudo, há alguns de vocês que não crêem”. Pois Jesus sabia desde o princípio quais deles não criam e quem o iria trair.

E prosseguiu: “É por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a não ser que isto lhe seja dado pelo Pai”.

Daquela hora em diante, muitos dos seus discípulos voltaram atrás e deixaram de segui-lo.

Jesus perguntou aos Doze: “Vocês também não querem ir? “

Simão Pedro lhe respondeu: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna.” João 6:51-68

Anseios, angústias, temores, receios, dúvidas, incertezas, cansaço, são alguns males que nos afligem todos os dias. Ao acordamos queremos que tudo saia perfeitamente. Suspiramos e dizemos a nós mesmos: “Hoje vai ser um dia bom! Hoje, ah hoje não! Hoje nada me abala.” Somos a “confiança em pessoa”.

De repente, somos supreendidos por algum mal estar, algo ou alguma coisa que não esperamos. Um teste de paciência! O pneu do carro fura, esquecemos alguma coisa em casa ou algum compromisso, nos irritamos facilmente no trânsito que está lento, discutimos com nosso cônjuge, chegamos no trabalho já meio atordoados, chateados. O desejo, nestas situações é “sumir”. Ir para algum lugar distante, onde há sombra e água fresca, descanso, paz. Longe de tudo e de todos. Queremos sair correndo e soltar um grito preso na garganta, nas entranhas. Desabafo. Consolo.

Entretanto, a vida e as responsabilidades nos chamam de volta para “o ringue da vida”. Que batalha, que luta!  Estamos prostrados na lona, cansados e tudo o que queremos no final do dia é um boa ducha quente, algo para beber e comer e se entregar a ela, a tão querida e esperada… cama! Tão logo acordamos e esperamos refrigério, mas aí novamente, mais um combate.

Acontece isso comigo, sempre. Você se identifica? Eu sei como você se sente. A despeito de que cada um nesta terra tem sua caminhada e sua lutas particulares, compartilhamos das dificuldades que permeiam a nossa vida no dia a dia.

Na passagem do capítulo 6 do Evangelho segundo João, vemos que Jesus se retira para o outro lado do lago. Acredito que depois do trabalho de ter alimentado mais de 5 mil homens (sem contar as mulheres e crianças), o Senhor estava cansado. Senão, vejamos:

“No dia seguinte, a multidão que tinha ficado no outro lado do mar percebeu que apenas um barco estivera ali, e que Jesus não havia entrado nele com os seus discípulos, mas que eles tinham partido sozinhos. Então alguns barcos de Tiberíades aproximaram-se do lugar onde o povo tinha comido o pão após o Senhor ter dado graças.Quando a multidão percebeu que nem Jesus nem os discípulos estavam ali, entrou nos barcos e foi para Cafarnaum em busca de Jesus. Quando o encontraram do outro lado do mar, perguntaram-lhe: “Mestre, quando chegaste aqui? João 6:22-25”

Como homem, o Senhor entendia a necessidade de “recarregar as baterias”. Mas, precisou continuar com sua missão. O Senhor era requisitado. O povo estava faminto.

“Então lhe perguntaram: “Que sinal miraculoso mostrarás para que o vejamos e creiamos em ti? Que farás? Os nossos antepassados comeram o maná no deserto; como está escrito: ‘Ele lhes deu a comer pão do céu. Declarou-lhes Jesus: “Digo-lhes a verdade: Não foi Moisés quem lhes deu pão do céu, mas é meu Pai quem lhes dá o verdadeiro pão do céu. Pois o pão de Deus é aquele que desceu do céu e dá vida ao mundo”. Disseram eles: “Senhor, dá-nos sempre desse pão! “Então Jesus declarou: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede.”João 6:30-35

A vida não é fácil. Jesus disse que teríamos aflições.  Mas porque ela não fácil, devemos nos acomodar? De maneira nenhuma. Jesus precisou de descanso, sendo homem. Nos traz um ensinamento que precisamos de um tempo para nós, ainda que tudo lá fora possa desabar. Tudo tem seu tempo.

Na  correria do dia a dia, cansado, exausto, estressado – ah o estresse!! – esperando um momento de refrigério, tenho que lidar muitas vezes com as mesmas coisas que parece que não terão fim, e aprendo uma coisa tremenda com Cristo: Não reclamar. Teremos momentos de cansaço, mas teremos momentos de paz, tranquilidade, descanso. Esta é uma promessa certa. A vida é assim mesmo!

Eu não me lembro de nenhuma passagem nas Escrituras, depois de alimentar multidões, curar enfermos, expulsar demônios, Ele [O Senhor] emitir a seguinte sentença:

“Meu Deus, que dia! Primeiro, Pedro ficou reclamando do calor, enchendo a paciência de todos. Oh Pedro do temperamento díficil viu. Depois o barco de João estava com um furo. Já havia o alertado para consertar. Tivemos que durante toda a atrevessia ficar tirando água para não afundarmos. E depois…ainda tenho que fazer isto, e depois aquilo… ahhhrrrghhh! Preciso de férias”!

Realmente, tudo que queremos é férias. Mas elas tem o seu momento e elas chegarão. Também espero por elas. Até lá, peço forças ao Senhor. Lanço sobre ele minhas angústias, meus temores, meus anseios, meus receios, minhas dúvidas, pois ouvi seu convite:

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” Mateus 11:28

“Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.” Mateus 11:29

Fácil assim?! Não, confesso. Mas quando oro, sou sincero a Deus e lanço sobre Ele meus fardos e tomo os Seus, sinto um renovo. Vejo a esperança. Vejo Cristo.

Afinal, para onde irei, se somente meu Senhor tem as palavras de vida eterna?

Simão Pedro lhe respondeu: “Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna.” João 6:68

Paz a todos,
Anderson Alcides.

Anúncios