Tags

, , , , , , , , , , , , , , ,

Será que realmente estamos lidando com a questão da Prosperidade da maneira correta? Será que entendemos o que ela é ou como funciona? Se até Cristo chegar a nossas vidas pecadoras éramos o oposto da prosperidade, a ruína, nos parece lógico que com Cristo essa queda se transforme em erguida e subida. E se de fato é, porque então não buscar uma vida prospera? A questão vai mais além do que isso. Confundimos o que seja uma vida próspera.

Se houver uma Teologia da Prosperidade ao pé da letra, estamos falando então de algo santo. Algo que provem do próprio Deus. Já que estaremos falando de Prosperidade, como algo que melhora, é favorável, feliz, e Teologia como uma espécie de estudo da manifestação de Deus para compreender mais (porque estudar Deus seria impossível).

Se discutirmos da forma que costumamos chamar de Teologia da Prosperidade, estamos falando de algo que não tem a cara de ser feito por Deus, já que o foco tem sido homem (por isso não enquadro como Teologia) e muitos acabam enveredando pelo Orgulho, que definitivamente não é algo santo.

Creio que o objetivo desse texto é chamar a atenção ao que me chamou a atenção e me fez pensar sobre o conceito do que é prosperidade. Quero chamar a discussão, debate sadio de ideias, sem apelos ao pessoal, sobre o que realmente é prosperidade descrita na bíblia. É apenas o começo de uma discussão, não uma definição final.

Vamos começar pelo início da humanidade, melhor lugar para começarmos a pensar em humanos.

Éden

Éden, projeto perfeito, obra boa.  Homem, auge do projeto, dito pelo criador como obra muito boa. Havia motivo para que o Criador observasse com sua visão precisa que sua obra era de uma qualidade e ajustes dignas de seu nome. Então podemos concluir que lá seria um bom começo para estudarmos as origens dos conceitos do homem.

Neste projeto, havia suficiência em todos os aspectos, plantas, animais, natureza, ( Gênesis 1 e 2) um verdadeiro jardim gigante, e gosto da palavra jardim pois o homem foi formado para um jardim, não criou o jardim. O jardim é do Criador, que desenhou cada canto com sua vontade deixou um ser a sua imagem participar de sua criação ajudando-o a cuidar do jardim e protege-lo. Tiramos daqui já o conceito de mordomia, cuidado e respeito pela obra alheia.

Em um mundo sustentável, não havia fome, pessoas mortas de frio, presas, apenas com o suficiente sem saber o que era muito ou pouco. Somente sabendo e vivendo o que era abundante. Tudo está novo, pronto para progredir em passos saudáveis, como um bebê que terá pernas para andar, depois correr, pronto para vida. Bem, vejo isso como um estado próspero, e daí teríamos um ótimo referencial do que seja Prosperidade.

Prosperidade, a meu ver e creio que de muitos, é um estado contínuo de crescimento, do qual o ser, com base no que tem, alcança novos patamares, não novas posses porque no Éden não estamos falando de posses e mesmo que estivéssemos, novas posses seriam novas criações do Criador o que a priori seriam posses do criador. O Jardim inicial era um local de um futuro promissor, e este estado de progresso possível e bem organizado seria nossa Prosperidade.

Bem, a história e a realidade atual já nos contam que não é bem mais assim. Algo aconteceu e a bíblia nos diz que foi uma queda.(Gênesis 3) Um processo de decadência foi iniciado e não parou. Perdemos nossa sustentabilidade, nosso tempo, nossa vida se tornou uma sobrevida, e a natureza se viu desrespeitada, assim como toda a Criação, inclusive nossos corpos.

Um projeto, não julgo se novo ou velho, pois o há um Cordeiro antes da criação do mundo, representando uma solução foi proposto pelo Criador, regenerar sua criação em ruína.

Até aqui podemos concluir que de certa forma uma vida com Deus seria uma vida Próspera. O que quero deixar claro, que o estado homem justificado por Cristo vivendo na terra atual não é um estado de Prosperidade total. Como assim? Não vejo o mesmo estado do Edén em nossas igrejas. Quando uma pessoa é sadia e tem fartura e outro não tem ou não está sadio… não é como no Éden.  Éden é projeto para povos compartilhando dos mesmos recursos.

Ok, então quero dizer que povos tem que ser prósperos. Isso! Exato. Mas bateremos de frente com uma questão, é impossível tal Prosperidade do Éden aqui e agora. Não estamos regenerados por completo e sem isso continuamos num estado decadente como humanidade, e que estão com Cristo um estado vitorioso, mas não 100% regenerados ou seja, não totalmente prósperos como a Prosperidade pede.

Ter riquezas nada mais é do que ter. Talvez resultado de causa-efeito ou mesmo de favor imerecido, mas se limita ao ter. Prosperidade é um estado completo de capacidade de crescimento para indivíduos em um corpo e não capacidade de indivíduos de certo nível social.  Alias, nível social é algo que não combina com Prosperidade.

Nível Social vs Prosperidade

Muitos aliam as duas coisas mas não estão alinhadas, alias estão em total contradição.

Nível quer pontos de referência distintos, e Prosperidade, como dito acima não se originou em um sistema onde houvessem níveis de importância, apenas níveis hierárquicos (1º homem- 2ºanimais), niveis familiares (1ºpai-2ºfilho apesar de não terem colocado em prática), niveis de qualidade (1ºhomem, muito bom, 2º natureza, boa), mas não níveis de importância.

Importância é a qualidade de uma coisa considerável, que tem valor, e toda a Criação tinha valor. Não havia uma desvalorização de algum aspecto pois tudo era útil. Tudo era essencial para o sistema. Haviam regras a cumprir e liberdade. Importância era apenas estar e ser parte daquilo. Então não haveria níveis de importância já que todos eram importantes.

Nível social foi sugerido pela serpente, mas de forma enganosa. O truque foi colocar Deus como autor de um nivelamento de importância, um nível social entre ele e os homens, onde o Criador saberia de tudo e os homens não, onde o Criador teria algo que eles não teriam pois o Criador não quer que a tenham. Rebaixou o Criador a criatura e passível de combate ,”ser igual a ele” era a oferta.

Que Deus é muito mais importante do que todo universo não há dúvida, o universo subsiste nele, por causa dele e para ele. Mas achar que podemos ter nível de comparação com Deus foi só um ponto do argumento maldoso do inimigo no Éden.

Prosperidade não tem a ver com isso. Logo não posso concluir que, minha ascensão ou queda em um nível social signifique Prosperidade e Ruína. Quando um ser é próspero ele está em um estado de progresso e promissor futuro, não tem a ver com sua condição comparativa a outros, mas sim suas capacidades em pleno uso.

 Cristão Prospero

O Cristão, sendo aquele que é e está em transformação em uma nova criatura pelo Cristo, deve ser próspero? Dever significa “ter a obrigação de, necessidade inerente e irreversível de”. Então alguém terá de ser o sujeito do Dever. Se for o homem, então depois de ser cristão temos por obrigação sermos próspero. Se for de Deus, Deus tem a obrigação nos tornar próspero. Acho que o problema começa no Querer.

Queremos ser prósperos, mas não sabemos o que isso realmente significa.  Queremos ser o que achamos que é ser próspero, e na verdade chamamos de próspero o TER.

Quando vemos um homem comprando uma casa, tendo carros e outras casas, fazendas, saúde intacta , família completa, dizemos que este está próspero. Ele tem. Não quer quer dizer que sua acensão seja prosperidade. Pode ser um ter gerador por uma sequência de causas-efeitos que lhe deram um patamar, patamar esse mensurável e nivelável socialmente e humanamente, mas perante Deus continua em Ruína.

A Prosperidade proposta por Deus abrange todas as área, inclusive financeiras mas não é algo que será completa e de fato a Prosperidade que dever ser. Nem Deus tem o dever de nos tornar ricos nem nós de o sermos depois de sermos cristãos.

Experimentaremos um pouco da Ruína e da Prosperidade nesta terra, alguns infelizmente só a parte da Ruína.  Assim como o enxofre do inferno não nos queima, os tesouros dos céus são inatingíveis. Vivemos em um mundo em que estamos sujeitos a diversas aflições, e não podemos negar isso.Por outro lado também não podemos fazer da nossa vida um mar e aflições e comodismo. Estamos em um mundo paradoxal onde o mal existe com o bem, o que não deveria acontecer de forma alguma.

Então não podemos dizer, ao ver um homem conseguir tudo que deseja, sendo cristão ou não, que há uma prosperidade de fato neste mundo, se ao lado há um outro ser humano, companheiro de universo, de Criação, passando as mais terríveis necessidade e dores. Não há como a Prosperidade e a Ruína existirem, somente neste mundo paradoxal onde elas não estão plenamente em execução.

E aqui uma coisa que temos que aprender, não há Prosperidade em sua plenitude aqui, mas resquício de uma prosperidade, vestígios do Éden.

 Prosperidade é um estado Eterno

Outro ponto sobre a Prosperidade são suas características eternas. O Edén foi planejado para ser infinitamente vivo. Não haveria um dia na história eterna da humanidade em que o Éden estaria murcho. Vida é o sinônimo de Éden.  Logo prosperidade nasce em um ambiente eterno, e possui características de  eternidade deste ambiente. Prosperidade é um estado eterno.

O que a traça e a ferrugem corroí não é parte desta Prosperidade eterna. Quando temos todos alimentos, os alimentos não significam nossa prosperidade e sim nossa vida é a prosperidade que por eles é mantida. Logo toda prosperidade humana tenta manter a vida que deveria ser eterna. A Prosperidade bíblica gira em torno de manter seres eternos eternamente vivos e felizes.

Prosperidade não é o simples subir em um nível qualquer, não possuir desagrados ou dores, é estar em direção à vida eterna sempre.

Não ter Deus e ter prosperidade humana é um estado tão mortal quanto ter Deus e ter esta prosperidade humana.

A prosperidade de Deus extrapola o tempo e espaço e é eterna. Então, nunca é o quanto você tem, e sim o quanto você faz para o todo que dita se sua vida é prospera ou não.

 Prosperidade é para todos

Prosperidade tem origens em prosperus (Do Latin  que se liga com  sucesso, triunfo) e como estamos com a visão turva por causa do Orgulho, não vemos Sucesso e Triunfo como estados para todos. Por exemplo, não conseguimos imaginar com facilidade um pais onde nos negócios todas as empresas tem o mesmos lucros e capital e por isso são Bem sucedidas, ou que todos que completem o trajeto da corrida tenham triunfado.

Temos a competição como ensino deste crianças e não vamos largar de uma hora para outra. Achamos errado até pensar assim, como se não competir fosse não poder praticar mais um esporte ou jogar um jogo.

Prosperar conjuga junto de Triunfar e Obter Sucesso quando todos completam aquilo que são. Onde todos conseguem passar seus desafios e chegar em seus objetivos. Triunfo é o Desfile de Vitória, Sucesso é uma sequência de resultados positivos. Todos podem compartilhar e viver esses triunfo e sucesso sem ter que haver uma disputa por posição de importância.

Por isso, uma igreja, a Igreja de Cristo, tem o dever de mostrar a Prosperidade que tenha como ela realmente deve é. Não dizendo que já a tem por completo, porque seria uma mentira, não chegamos nem aos pés do Éden ou da Nova Jerusalém, mas mostrar que ela existe e que seus valores só existem em harmonia com outros, valores do Reino.

Não podemos chegar a um não crente e dizer que se ele aceitar a Jesus será prospero significando ser rico e com saúde. Não podemos por que é mentira. O que devemos fazer é dividir nossa prosperidade dada por Deus, ou seja tudo que entendermos sermos bençãos dEle em nossas vidas, e mostrar que é apenas um pouco do que teremos um dia. Mostrar que o ato de dar é mais importante do que o de ter . Mostrar que a Prosperidade de Deus de verdade, nossos frutos.

Em nossa teologia quando Deus é o centro e o Plano dele está funcionando há algo prospero ali. Devemos fazer que vejam Deus através de nós, não pelo que temos, mas pelo que parecemos com ele, pois estamos nos preparando para estarmos com ELE!

Podemos ser Prósperos ?

Seja prospero, mas esqueça essa de ficar rico ou pobre, sadio ou doente, com seu time campeão ou não, tudo isso vai passar. A Prosperidade bíblica é eterna e não convive com Orgulho ou comparações, com níveis sócias ou recompensas por obras feitas a Deus. Prosperidade começa de dentro para fora, de um ser em transformação transformando outros e ela ira ficar contigo desde agora onde está sendo formada pouco a pouco até o infinito.

Não que não recebemos bençãos de Deus, pelo contrário,claro que recebemos! E Gloria a Deus por isso! E justamente por isso somos Prósperos. As bençãos mostram resultados da ação dele em nós mas não de nós em nós. Isso é simples causa-efeito. Mas lembre-se: Deus não tem obrigação alguma de te fazer rico ou saudável, é tudo graça dEle. Ele o faz por livre e espontânea vontade a quem quer e segundo seu Plano. Veremos tanto cristãos ricos como cristãos pobres, sadios quanto doentes, tudo segundo Seu Plano e Vontade.

As maiores bençãos que Deus nos pode dar são eternas e são dentro de nós.  Fora surgem resultados que não são necessariamente financeiros ou de saúde. Nem todo aquele que possui terras é bondoso, logo ter terras não é parâmetro para medir a bondade. O mesmo funciona para Relacionamento com Deus. Não é pelo que a pessoa tem ou como ela se encontra que mostra seu relacionamento com Deus, são quais são suas ações e onde se aprendeu isso.

Prosperidade é ir para frente, e um cristão que está tendo um relacionamento com Deus, trabalhando dia a dia, cuidando direito de sua família, cumprindo em manter a congregação unida e ativa, independente de quanto tenha ou possa, já é Prospero de verdade, dentro dos limites atuais, e apto a ser em breve Totalmente Prospero.

Teologia da Prosperidade é saber que a Prosperidade da Teologia (ou seja Avanço da noção de quem é Deus) está nos dizendo como nós seres humanos deveríamos ser, através da Palavra e o Senhor da Prosperidade nos faz avançar de graça em graça até ELE.

 Autor: Riba

URL: http://www.riba.com.br

Anúncios